31/10/2013

FEITICEIRAS

        
      O costume de comemorar o Halloween é muito recente, em Portugal, e é mais uma "cópia" importada. Mas, no nosso país as feiticeiras, as bruxas, ou como lhes queiram chamar, fazem parte da nossa tradição popular e a elas estão ligadas lendas, adivinhas, textos orais e contos. Do livro Serão, José Rosa Araújo, um repositório de tradições minhotas, selecionamos alguns textos:
 
   Como se conhece quem é feiticeira?
   Muito simples: espera-se que, na missa, o padre erga o cálice ou a hóstia e, nessa altura, lança-se mão ao ferrolho da porta principal do templo.
   Logo elas se levantam, muito aflitas, e procuram fugir.
  Porém, quem tal fizer, poucos dias terá de vida; as feiticeiras matam-no.
 
   Para afugentar as feiticeiras e evitar-lhes os malefícios, usa-se: alho-porro, arruda, fermento cru, uma figa de azeviche, o corno esquerdo de uma vaca-loira e ainda um chavelho pendurado detrás da porta da habitação.
 
   Uma das mais frequentes diversões das feiticeiras é meterem-se com os homens que regressam, sozinhos, pela noite dentro, das romarias.
    Em geral, eles não as vêem; quando muito, ouvem-nas a gargalhar.
    Mas os pobres sentem-se como entontecidos e vagueiam, até ao romper da manhã, sem saberem nunca por onde andaram!
    Com a vinda da madrugada, as feiticeiras regressam a casa e quebra-se todo o encanto que elas provocam. 
 
 

30/10/2013

SEMANA DA BE

 
       Iniciámos a Semana da BE com a colaboração da Professora Júlia Bacelar que, apesar de já estar reformada, continua a colaborar com a BE.
      Com muito entusiasmo, falou a três turmas de 5º ano da Biblioteca Itinerante da Gulbenkian que lhe alimentou o prazer de ler e a ensinou a procurar novos autores, da importância da leitura, dos seus livros preferidos, da nova Biblioteca de Alexandria e terminou com um texto de José Jorge Letria, O rato de Alexandria.
        Hoje, vai repetir a experiência com a turma dos seus antigos alunos.
        Obrigada, Júlia.
  
 

 

28/10/2013

DIA DA BIBLIOTECA ESCOLAR


        Já fomos assim pequinos, com muitas plantas... e poucos livros.



     Em 1994, sairam as plantas, vieram estantes novas, ainda fechadas, já havia dossiers temáticos, já havia alunos (onde estarão estas alunas?) e as que começaram a BE.




   Talvez um ano depois, colorimo-nos, mas continuámos separados por uma porta-fole que também foi eliminada. Já estávamos informatizados e catalogados!!!
 

 
      Em 2000, depois de muita luta, de muita persistência, crescemos e entrámos na Rede das Bibliotecas Escolares.
 
 



       19 078 documentos depois, chegamos aos nossos dias. A vontade é muita. A persistência e o prazer no que fazemos, também. Só precisamos que nos deixem.
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
     

 


26/10/2013

FRASEANDO



      Deus abençoe o ignorante. Tudo o que aprende é novo.


Jean Gebser

22/10/2013

FRASEANDO




       Só os parvos acham maneira de estarem imensamente contentes com a imensidão dos seus poderes e saberes.
 
 
Eugénio Lisboa

20/10/2013

FRASEANDO


   

   Sem um bom ouvido não há boas palavras.



Gonçalo M. Tavares, Viagem à Índia

19/10/2013

A MÃO



A mão
vinte e sete ossos,
 trinta e cinco músculos,
 cerca de duas mil células nervosas
 em cada uma das pontas cinco dedos.
 É quanto basta para escrever "Mein Kampf"
 ou "A casinha do ursinho Puff"


Wislawa Szymborska

 (Não nos esqueçamos do poema, com o mesmo título, de Manuel Alegre:

 

18/10/2013

FRASEANDO



       Se de noite chamares pelo sol, não verás as estrelas.



Rabindranath Tagore

16/10/2013

FRASEANDO


        Neste mês, também dedicado às BE, vamos reatar o Fraseando com frases que vamos lendo, gostando, apontando. Também podes colaborar, enviando as tuas preferidas e/ou enviando o teu comentário.
 
       A de hoje é de Pedro Mexia e foi publicada no Expresso, de 1 de dezembro de 2012. Agrada-me, particularmente:
 
       Ficamos sozinhos quando somos exigentes. Ficamos sozinhos quando não mentimos. Ficamos sozinhos quando defendemos as nossas convicções. É um preço que estou disposto a pagar.

15/10/2013

ALIMENTAÇÃO


    Iniciamos as palestras que pretendemos levar a cabo ao longo do ano lectivo, a que demos o nome de Esta noite vamos falar+ de.
     Começamos com a alimentação, integrada na Semana da Alimentação.
         
         O convite aqui fica. Esperamos-te.

10/10/2013

BICENTENÁRIO DE VERDI


       Giuseppe Verdi nasceu em 10 de outubro de 1813, em Roscole, Itália.
        Famoso compositor de ópera, ativista da unificação italiana, viu o seu nome ser usado como sigla de apoio ao futuro rei Vitor Emanuel:

 
       O famoso Va pensiero, da ópera Nabucco, é todo ele um grito de revolta e de desejo de liberdade.
 
 

        Para a inauguração do Canal do Suez, cerimónia a que assitiu Eça de Queirós, Verdi apresentou a Aïda com toda a sua pompa:

         
          Podes ver todas estas imagens, e outras sobre Música e compositores, na obra História da Música em Banda Desenhada, de Bernard Deyries et al.


08/10/2013

ARTE

         Numa altura em que é difícil viajar, podemos visitar os principais museus do mundo virtualmente, no Google Art Project, onde já estão instaladas as colecções de dois museus portugueses - Sintra e Queluz.
 
       Uma boa viagem!

01/10/2013

DIA DA MÚSICA

Neste primeiro dia de outubro comemora-se o DIA DA MÚSICA e dá-se início ao PROJECTO LEITURAS deste ano lectivo. Continuamos com objetos, por sugestão de muitos dos que trabalharam no ano passado, mudando os subtemas. Em outubro, os objetos estarão relacionados com os SONS, precisamente por causa da MÚSICA. Assim, aliando estes SONS a objetos, ouçam estes carrilhões de Mafra, obra de D. João V, O Magnânimo, e do ouro do Brasil...