13/09/2015

Viagens

  No final as férias, continua a ser agradável falar de viagens ou ler sobre as viagens de outros.
  Viagens pagãs, último livro de Fernando Dacosta, fala-nos do Douro, do Corvo, do Brasil, Norte de África, Angola e Moçambique.
  Do Douro, recorda a sua infância, figuras como D. Antónia, Barão de Forrester e lugares:

 ...sobre o Cachão da Valeira, nó de precipícios e fragas, onde centenas de pessoas e barcos, rabelos, de pesca, de passagem, se desfizeram.
  Ao chegarem perto, os marinheiros, hirtos, gelados, encomendavam-se a São Salvador do Mundo. O Barão pereceu nele. Inglês de suíças ruivas, milionário e pintor, pintor de uvas e aguarelas, James Forrester fez-se figura lendária do norte.
   Os seus cinturões de oiro, as suas amantes de exibição, os seus criados de libré, o seu barco-palácio erante, as suas ceias no convés, rio acima, as suas sinfonias e gargalhadas ecoando nas margens deram-lhe dimensões de mito. A nave de luxo e luxúria em que se deslocava tornou-se uma visão fantasmática.
   Numa noite de Lua Nova, asseverava Maria Bolota, dada a visões de Nossa Senhora e de extraterrestres, o seu casco levantou voo com o fantasma do inglês.
   D. Antónia Ferreirinha (outra figura de referência no Douro), que o acompanhava aquando do acidente, flutuou na corrente - as saias compridas, usava várias, apanharam ar, enfunando-se - e salvou-se.
   
  Fernando Dacosta será o convidado de À conversa com..., dia 18, pelas 21.30, na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo.


Sem comentários:

Enviar um comentário

COMO PODES COMENTAR?

1º Escreve o teu comentário ou sugestão.
2º Identifica-te.
3º Selecciona o perfil "Anónimo".
4º Clica em "Enviar comentário"

Atenção: todos os comentários são moderados - não serão publicados os comentários ofensivos ou com erros ortográficos.