30/06/2016

AQUELE VERÃO

  Aquele é o verão de todas as calamidades. As temperaturas baixam e ocorrem profundas alterações climáticas em quase todo o mundo. É um verão de medos, de superstições, de exacerbar de crenças religiosas. É o verão do reinado da literatura gótica e das pinturas marcadas por céus ameaçadores e estranhos pores de sol. Aquele é o verão  do caos absoluto, e nada volta a ser como dantes.

Pôr do sol sobre o lago - Turner
  "Aquele" é o verão de 1816, segundo Valdemar Cruz, na revista do Expresso, do último sábado. Foi um verão de frio e muita chuva. Foi um verão de guerra e de destruição. Foi um verão de encontros, de criação e  muito produtivo. Um verão que levará à criação de Frankenstein e Vampiro:

   Se Mary (Shelley), com "Frankenstein", decidira suscitar a fundamental questão sobre o direito moral de criar vida artificial, Byron opta por um longo e apocalíptico poema intitulado "Darkness" (Escuridão). John Polidori, que entretanto de incompatibilizara com Byron, escreve "O Vampiro", uma obra precursora de um  género, na qual muitos viram a figura de Byron e que mais tarde servirá de inspiração a Bram Stocker para escrever "Drácula".

29/06/2016

O BOM GIGANTE

  Quando, nos finais dos anos 60, fui para o Porto estudar no Liceu Carolina MIchaëlis, o cinema tornou-se um hábito. Nesse tempo, gostava de ir ao cinema. Não havia pipocas, não havia telemóveis a tocar, as pessoas não passarinhavam durante a projeção e o ecrã era grande. Que saudades!
  Viam-se filmes bons, assim-assim e ... Trinitá, um cowboy insolente... com Terence Hill e Bud Spencer. Uma "cowboiada" com algum humor duvidoso, muito murro e os bons sempre a ganhar.


   Bud Spencer morreu há dois dias.


Isabel Campos

28/06/2016

FOTÓGRAFO AMBULANTE

Fotógrafo em Santa Luzia

 Das poucas vezes que vieram os retratistas, com antiquíssimas máquinas que assentavam num tripé, juntávamo-nos para admirar o modo como o homem se compenetrava a preparar o seu engenho. Havia uma manga de flanela preta, e o homem enfiava a cabeça por ela dentro para farejar as pessoas de longe. Vinha na véspera das festas. (...) Não havia vez nenhuma  que ele não saísse de dentro da sua manga de flanela para vir endireitar uma cabeça, estreitar um pouco mais as pessoas para que ficassem no campo da lente, compor melhor a posição dos braços, o arco do pescoço, a altura das cabeças. (...)
  A minha e a infância dos meus irmãos ficou apagada do tempo e do luxo dos retratos. Nunca fomos de anjo nas procissões e nunca os meus pais se comoveram com a voz suplicante desses retratistas de fora da terra que garantiam a perfeição humana e a arte de emprestar à vida um pouco de sabor e saudade.

   De um livro a ler, ou reler, estas férias.



  A BE empresta.

27/06/2016

GEOSÍTIOS

 Há dias reproduzimos uma notícia da NG sobre o Geoparque de Viana e do trabalho desenvolvido pelo Ricardo Carvalhido. Quem se interessa pelo assunto pode inscrever-se num workshop realizado pelo CMIA, no próximo dia 2 de julho. Informações aqui.

25/06/2016

O DISPARATE

  A nota de rodapé da imagem que nos enviaram  expressa um desejo de muitos de nós - o assassino deveria suicidar-se primeiro... O problema é que é o reflexo de um desleixo, de um desconhecimento, não faltando o á com o acento errado... tão bem descrito por Manuel António Pina, numa das suas crónicas do Jornal de Notícias e reunidas em Crónica, saudade da literatura:


   Os jornais abundam hoje em frases descasadas e em erros de ortografia (dos de sintaxe melhor é nem falar). Os velhos revisores foram-se e as redacções encheram-se de jovens produtos do sistema de ensino. O resultado foi catastrófico. Dêem-me um jornal onde se use hoje uma voz perifrástica ou tão-só um tempo composto e onde o mais-que-perfeito não tenha sido soterrado sob o pau para toda a obra do perfeito simples.  Curiosamente, é às vezes gente que tem por profissão escrever em português e escrever incompetentemente em português quem mais exige políticas competentes, médicos competentes, magistrados competentes...


24/06/2016

S. JOÃO

  Varandas na Rua de S. Bento da Vitória, Porto, no passado dia 21.





Noite de S. João

Noite de S. João para além do muro do meu quintal. 
Do lado de cá, eu sem noite de S. João. 
Porque há S. João onde o festejam. 
Para mim há uma sombra de luz de fogueiras na noite, 
Um ruído de gargalhadas, os baques dos saltos. 
E um grito casual de quem não sabe que eu existo. 


Alberto Caeiro, Poemas Inconjuntos

23/06/2016

A DECISÃO

  BREXIT ou não BREXIT, recorda Astérix entre os Bretões, o humor de Uderzo e Goscinny, o rugby, o chá, a poção e...

22/06/2016

GEOPARQUE

 Do último número da National Geographic, um artigo do nosso ex-colega, ex-colaborador da BE e particular amigo, o geólogo Ricardo Carvalhido, sobre o Geoparque de Viana do Castelo. Um bom tema para explorar no próximo ano letivo...







Em Viana do Castelo, quatro capítulos da história da Terra ficaram extraordinariamente preservados e constituem a pedra angular do projecto de criação a longo prazo de um geoparque”, diz o geólogo Ricardo Carvalhido, o responsável científico da iniciativa. Espraiando-se por uma área de seis hectares, os cinco novos monumentos naturais locais já classificados (num total de oito geossítios) incluem marcas da presença de um vasto oceano primitivo que cobria o território há 500 milhões de anos, câmaras magmáticas expostas pela erosão, a dança da subida e descida do nível do mar, com os correspondentes patamares e depósitos de fósseis e icnofósseis (como os alvéolos escavados por ouriços-marinhos, à esquerda) e um capítulo mais recente, correspondente à humanização da paisagem nos últimos dez mil anos.
A edição portuguesa da National Geographic voltou a associar-se ao Prémio Geoconservação, este ano atribuído ao município de Viana do Castelo, que classificou cinco novos monumentos naturais locais no âmbito deste projecto.

21/06/2016

FAZ-SE LUZ!

 Às 17 horas. na Casa da Música, o encerramento oficial do Ano Internacional da Luz.


A BE também vai encerrar o projeto Faz-se luz! que nos iluminou durante dois anos. Foi muito gratificante. O nosso eterno agradecimento, embora ele nunca o vá saber, a Jorge Calado e a todos os ensinamentos que nos transmitiu no seu excepcional Haja luz! Tornou-se quase obsessão...

20/06/2016

CHAPÉUS HÁ MUITOS....

 Junho pode não trazer o sol e o bom tempo, mas traz sempre uns fabulosos chapéus em Ascot. Não sabemos se, em 1711, já se viram chapéus tão extravagantes, mas, os deste ano, estão in blossom.





  Recordemos My fair lady


19/06/2016

AMIZADE



   Uma embarcação suficientemente grande para transportar duas pessoas quando o tempo está bom ,mas apenas uma durante a tempestade.
Ambrose Bierce

   Se quiseres que os teus amigos sejam absolutamente sinceros contigo, ficas sem amigos. A amizade, como qualquer forma de sociabilidade, inclui uma dose necessária de mentira e de hipocrisia.
Pedro Mexia


 Sobre o tema, recomendamos vivamente o programa do passado dia 12 de junho, na Antena 1, A cena do ódio. Vale a pena ouvir todos os programas anteriores da autoria de David Ferreira. Muito, muito boa música.

18/06/2016

EQUÍVOCO







  



  

  

   a tesoura e o tesouro eram um casal
  exemplar de amor eterno à primeira vista

  ela incansável cortava a direito no alheio
  ele com os fundos dela montou um banco

  um dia todavia as contas entre
  ambos começaram a dar só pò torto
  e nunca mais se entenderam

  a tesoura da lábia fina
  pela calada da noite vingou-se

  o tesouro coitado sem ela
  foi a todas no inem para o hospital
                                                         
                                                             David Rodrigues

17/06/2016

UM PRÍNCIPE

 Recordemos David Mourão Ferreira um príncipe da poesia, um príncipe da ficção, um príncipe do ensaio e da crítica, um príncipe da generosidade e um príncipe da vida (Eugénio Lisboa) na passagem dos 20 anos da sua morte, ontem.


Labirinto ou não Foi Nada

Talvez houvesse uma flor 
aberta na tua mão. 
Podia ter sido amor, 
e foi apenas traição. 

É tão negro o labirinto 
que vai dar à tua rua ... 
Ai de mim, que nem pressinto 
a cor dos ombros da Lua! 

Talvez houvesse a passagem 
de uma estrela no teu rosto. 
Era quase uma viagem: 
foi apenas um desgosto. 

É tão negro o labirinto 
que vai dar à tua rua... 
Só o fantasma do instinto 
na cinza do céu flutua. 

Tens agora a mão fechada; 
no rosto, nenhum fulgor. 
Não foi nada, não foi nada: 
podia ter sido amor. 


                       David Mourão-Ferreira, À Guitarra e à Viola

16/06/2016

O VIAJANTE DAS SETE PARTIDAS

Possível representação do Infante D. Pedro nos Painéis de S. Vicente
   Mas alto fez ecoar a sua lembrança, como Príncipe das Sete Partidas, ao viajar longamente pela Europa entre 1425 e 1428. (...)
   Em Inglaterra recebeu a Ordem da Jarreteira... Na Flandres consolidou relações comerciais e estreitou laços de parentesco. Em Colónia, como peregrino, visitou o túmulo dos Três Reis Magos... Na Hungria conviveu com o imperador Segismundo... percorreu a Boémia e a Rússia, lutando contra os Turcos. (...) em Veneza viu-se festejado pela senhoria; percorreu Ferrara, Pádua e Bolonha (...) Capitalizou conhecimentos científicos, da ciência do mar e da cartografia, trazendo consigo, de Veneza, o livro de Marco Polo e um mapa-mundi, que desenhava as vias comerciais entre o Oriente e a cristandade. 
D. João I, Maria Helena da Cruz Coelho

14/06/2016

ANTIGAMENTE...

 Quando não havia playstations, tablets, smartphones e afins, brincava-se assim:







13/06/2016

SANTO ANTÓNIO

  Santo António, casamenteiro, padroeiro de Lisboa, disputado por Pádua, recordado no seu dia, no Passeio a Santo António, de Augusto Gil, aqui dito por João Villaret.


12/06/2016

11/06/2016

PÉROLAS




 Quer dizer então que é possível fazer desporto sem um iPhone preso ao braço?

 Atrás de um grande homem há, mais das vezes, uma mulher que lhe dá ordens.

  Just be yourselfie.


 Nem bola de berlim, nem pastel de belém, nem éclair. O bolo mais pedido nas pastelarias portuguesas é o "aquele ali".

 No final dos anos 70, os meus pais tinham uma Grundig a preto e branco. Lembro-me bem porque o comando à distância era eu.

Falar com a cabeça vazia é falta de educação.

São já conhecidos casos de doentes a quem amputaram o telemóvel mas que continuam a senti-lo na ponta dos dedos.

  "Pede-se a comparência da menina Pandora na Caixa Central".

  É tudo muito bonito até ao dia em que vês a tua fotografia do cartão de cidadão.

 Para Eva, foi muito fácil: à noite, contava as costelas de Adão para ter a certeza de que não havia outra.

 Aproveita os momentos em que não tens wifi para conhecer a tua família: é possível que não sejam más pessoas.

  A utilização de botox pode provocar limitações à liberdade de expressão.

10/06/2016

TUDO ISTO É FADO


 Neste 10 de junho, já passamos por Fátima, o futebol começa hoje, só nos faltava, portanto, o fado.
 José Régio, em  Poemas de Deus e do diabo, escreveu Fado português, divulgado por Amália Rodrigues, com música de Alain Oulman


O Fado nasceu um dia,
quando o vento mal bulia
e o céu o mar prolongava,
na amurada dum veleiro,
no peito dum marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava.

Ai, que lindeza tamanha,
meu chão , meu monte, meu vale,
de folhas, flores, frutas de oiro,
vê se vês terras de Espanha,
areias de Portugal,
olhar ceguinho de choro.

Na boca dum marinheiro
do frágil barco veleiro,
morrendo a canção magoada,
diz o pungir dos desejos
do lábio a queimar de beijos
que beija o ar, e mais nada,
que beija o ar, e mais nada.

Mãe, adeus. Adeus, Maria.
Guarda bem no teu sentido
que aqui te faço uma jura:
que ou te levo à sacristia,
ou foi Deus que foi servido
dar-me no mar sepultura.

Ora eis que embora outro dia,
quando o vento nem bulia
e o céu o mar prolongava,
à proa de outro velero
velava outro marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava.




09/06/2016

THE BEATLES


Olhar Viana

  Hoje, às 22 horas, na Praça da República, um tributo aos Beatles pela banda The Beetoes. Não percas. Uma boa oportunidade de recordar os grandes êxitos da banda.
  Este espectáculo está integrado na exposição The Beatles - sons e tons, até dia 26 de junho, no Museu do Traje.
  Estivemos .

08/06/2016

NOVIDADES

   Um subsídio que recebemos permitiu-nos estas compras que já podemos emprestar.

 


     


        





































































































































































































































































































































































































































































                                   



07/06/2016

NG 183

  Antes de ires embora, ainda podes ler o número deste mês da National Geographic.