31/12/2015

AULD-LANG-SYNE

  Logo, ao bater das doze badaladas, em muitos lugares ouvir-se-á a canção escocesa Auld-lang-syne (Pelos bons, velhos tempos).
 Quando o poeta romântico escocês Robert Burns (1759-1796) recolheu os versos de uma antiga canção, postumamente publicada em 1796, não imaginava no sucesso em que a canção se iria tornar.
   Apresentamo-la numa versão de Rod Stewart gravada ao vivo.



Should old acquaintance be forgot,
and never brought to mind ?
Should old acquaintance be forgot,
and old lang syne ?
CHORUS:
For auld lang syne, my dear,
for auld lang syne,
we'll take a cup of kindness yet,
for auld lang syne.
And surely youll buy your pint cup !
and surely Ill buy mine !
And we'll take a cup o kindness yet,
for auld lang syne.


30/12/2015

PEDRO

 Quanta felicidade, sonho e cumplicidade trouxe este simpático coelho a milhões de crianças em todo o mundo, desde a sua publicação em 1902. Quantas vezes apareceu como prenda de Natal.







 Da sua autora, Beatrix Potter, da sua vida, da sua inspiração, da sua obra, voltaremos a falar.



29/12/2015

PABLO CASALS

 Pablo Casals foi, é, considerado um dos maiores violoncelista de sempre. Nasceu na Catalunha, em 1876, no dia 29 de dezembro.


   Com uma longa carreira plena de sucessos, Casals tocou, no início da sua carreira, para a Rainha Vitória e para Roosevelt. Em 1906, inicia a colaboração com a violoncelista portuguesa Guilhermina Suggia, que não se limitou ao plano profissional.
   A sua oposição ao regime de Franco levou-o a exilar-se e a não tocar em países que apoiavam o regime de Espanha. A única exceção ocorreu quando tocou, em 1961, na Casa Branca, a convite de John F. Kennedy, que muito admirava. 
  A sua campanha pela liberdade leva-o a escrever Um Himo para as Nações Unidas, em 1971. Na apresentação da peça, é condecorado pelas Nações Unidas pela sua luta pela paz e pela liberdade. Nessa sessão profere o célebre discurso Sou Catalão.


   Em Jerusalém, em 1973, ano da sua morte, dirige a Orquestra Sinfónica, no que será o seu último concerto, aos 96 anos.
  A violoncelista Madalena Sá e Costa foi sua aluna em cursos de verão, tendo estes dois artistas convivido, através do pai da violoncelista e de Guilhermina Suggia.
 

28/12/2015

LER É PODER MAIS


   Mário Cordeiro, pediatra, na sua coluna de opinião, na revista Visão de 17 de dezembro, escreveu:

   Os livros são memória coletiva, espaço de liberdade e uma fronteira civilizacional. (...)
  Ler é, também, um espaço. Um de tranquilidade, que se pode rever, controlar, que exige dedicação e que permite retomar o tempo do Homem (...) Ler é ver, mexer, sentir, cheirar, parar o Tempo e saborear.
   (...)
 Os livros e a leitura são espaço de recreação, calma, tranquilidade, exploração táctil e olfativo, que dão o prazer de folhear, pousar e refletir, parar e pensar, imaginar, criar cenários, usar a experiência pessoal para entender o conteúdo, e esse privilégio está a ser cilindrado pelos ecrãs e pela falsa comunicação dos "cem mil amigos" das redes sociais, como se essa interação não passasse de pobre, limitada e mentirosa.
   (...)
  As crianças habituaram-se a hábitos de leitura praticamente nulos. Na própria Escola, os manuais são 'user friendly' interativos, recheados de figuras, desenhos e fotografias, reduzindo otexto quase a zero. (...) Quando algum professor tem a ideia "bizarra" de dar um livro para ler para depois comentar a maioria dos alunos (e encarregados de educação) pensará: "Que seca! Que seca!".
  (...)
 Escrever e ler andam a par. O vocabulário aumenta, a gramática melhora, a construção de frases torna-se mais fluída e mais coerente e uma coisa leva imediatamente à outra.
  (...) 
  Torna-se urgente inverter a tendência. Não há soluções mágicas. Os hábitos culturais, para se sedimentarem, sobretudo quando vão contra a 'lógica' e o facilitismo do sistema, exigem esforço e tempo. Não se compram no hipermercado nem na farmácia. Depois da pré-História veio a História. Não podemos admitir que, depois desta, venha o vazio, o caos e a iliteracia. Porque virá, com eles, a diminuição da liberdade 

27/12/2015

ACABOU...



    A festa hoje dá lugar à melancolia.
   Já não somos crianças,
   não temos insónia a pensar nos brinquedos
   nem sofremos a ansiedade da meia noite,
   Crescemos...
   O tempo levou-nos a fé
   levou-nos os avós
   levou-nos os pais,
  Trouxe-nos os filhos
   e a melancolia
   de termos sido crianças
   e ter sido uma festa.

                                                        Rui Spranger, Natal

26/12/2015

A NATIVIDADE

Piero della Francesca, 1470



Correggio,  1528


                                     
Pieter Bruegel,  1564


                                       
El Greco, 1603

                                      


Caravaggio, 1609



Peter Paul Rubens, 1634


24/12/2015

O PRESÉPIO


  Da autoria de Machado de Castro, construído em 1782, encomendado pela Família Real, com as suas 500 peças em cortiça e terracota, o presépio da Basílica da Estrela é o maior do país.








BOM NATAL!

23/12/2015

NATAL À MESA




  Ramalho Ortigão, em Farpas I, descrevia-nos assim o Natal:

  Tinham vindo os filhos, as noras, os genros, os netos. Acrescentava-se a mesa. Punha-se a toalha grande, os talheres de cerimónia, os copos de pé, as velhas garrafas douradas. Acendiam mil luzes nos castiçais de prata. (...)
 Finalmente o bacalhau guisado, como a brandade da Provença dava a última fervura, as frituras de abóbora menina, as rabanadas, as orelhas de abade tinham saído da frigideira...

  A azáfama na cozinha já começou e a quantidade de ovos a serem abertos e separadas as gemas das claras é, por vezes, uma tarefa árdua. Por essa razão, vamos partilhar este vídeo, esperando que os resultados sejam iguais aos apresentados. Vamos experimentar.



22/12/2015

MERRY CHRISTMAS

  



 No blogue Literary Traveler, Paul Millward atribui a Charles Dickens a expressão Merry Christmas.  No início de um dos melhores livros de Natal, um dos clássicos, Conto de Natal, o sobrinho de Mr Scrooge, Fred, usa esta expressão. 



  O livro foi publicado a 19 de dezembro de 1843 e tornou-se um sucesso, na mesma altura que se introduzia o costume da árvore de Natal e do envio de cartões de Boas Festas. 
 Sir Henry Cole, diretor do Museu Victoria e Alberto, encomendou John Calcott Horsley a criação de um cartão. Em 1843 foram impressos 1000 exemplares que foram vendidos a 1 shilling cada.



  A leiloeira Henry Aldridge, em 2005, vendeu um exemplar deste cartão por ... £ 22 250... Não se tratava de um exemplar qualquer - tinha sido enviado por Mary Tripsack a poeta Elizabeth Barrett Browning. É um dos 10 exemplares ainda existente.
  
  Ainda há quem pense que não vale a pena guardar "papéis velhos"...

21/12/2015

NATAL E POESIA

  Poema muito conhecido de David Mourão-Ferreira (1927-1996), mas que vale sempre a pena recordar.




LADAINHA DOS PÓSTUMOS NATAIS


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que se veja à mesa o meu lugar vazio

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que hão-de me lembrar de modo menos nítido

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que só uma voz me evoque a sós consigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que não viva já ninguém meu conhecido

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem vivo esteja um verso deste livro

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que terei de novo o Nada a sós comigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem o Natal terá qualquer sentido

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que o Nada retome a cor do Infinito 

19/12/2015

PIAF

  Quando a canção francesa liderava os top mundiais, Edith Piaf era uma dessas estrelas. Toda a sua carreira e vida pessoal foram cheias de infortúnios, desastres e tristeza, a maior das quais, a morte do boxeur Marcel Cerdan, num desastre de avião, nos Açores, em 1949, para quem escreveu este Hymne à l'amour.




Le ciel bleu sur nous peut s'effondrer
Et la terre peut bien s'écrouler
Peu m'importe si tu m'aimes

Je me fous du monde entier
Tant qu'l'amour inond'ra mes matins
Tant que mon corps frémira sous tes mains
Peu m'importe les problèmes
Mon amour puisque tu m'aimes (...)


  La vie en rose, escrita uns anos antes, celebrava a alegria de viver, o amor e  era uma homenagem aos que tinham sofrido com a Guerra.


Quand il me prend dans ses bras
Il me parle tout bas,
Je vois la vie en rose.
Il me dit des mots d'amour,
Des mots de tous les jours,
Et ça me fait quelque chose. (...)



  Non, je ne regrette rien foi outro dos grande sucessos na voz de Edith Piaf. Dedicada à Legião Estrangeira Francesa, que na altura lutava na Argélia, a canção tornou-se quase o seu hino.


(...)
Non... Rien de rien...
Non... Je ne regrette rien
Ni le bien qu'on m'a fait,
Ni le mal - tout ça m'est bien égal! (...)


 
 Edith Piaf faria, hoje, 100 anos.

18/12/2015

ANGOLA, NY

  Segundo o censo de 2010, Angola tinha 2 127 residentes e uma área de 611,8 Kam2.


   Com uma praia de águas calmas e bem azul, aqui com uma vista deslumbrante, a partir do Sunset Bay Beach Club,  nas margens do Lago Erie ...

 
nos Estados Unidos.


.

  Os primeiros habitantes eram Quakers que apoiavam os missionários que tinham criado missões em Angola (África Portuguesa). Com a chegada do comboio em 1852, a cidade desenvolveu-se, economicamente. Mas o comboio trouxe, também, o maior acidente da sua história. No dia 18 de dezembro de 1867, o comboio Buffalo-Nova Iorque descarrilou, depois de ter passado por Angola, causando 49 mortes e mais 40 feridos.
  De entre os seus habitantes ilustres destacamos:
 
Willis Carrier (1876-1950) inventor do ar condicionado
Patrick Kaleta,(1986) jogador de hóquei no NHL


Christian Laettner (1969) jogador de basquetebol NBA

Monroe Salisbury (1876-1935) ator de cinema mudo

17/12/2015

GÉNIOS

 Compor nove sinfonias, cinco concertos para piano, um concerto para violino, trinta e duas sonatas para piano, dezasseis quartetos de cordas, uma Missa solemnis  e a ópera Fidélio, quando se fica surdo aos 26 anos, é de génio.


 Desconhece-se a data nascimento de Ludwig van Beethoven, mas sabe-se que foi batizado em Bona, no dia 17 de dezembro de 1770. Aos 21 anos, foi viver para Viena, onde estudou composição com Haydn e se tornou um virtuoso  no piano. Os seus concertos para piano e as suas sonatas disso são prova. Podemos aqui ouvir o Allegro do Concerto para piano e orquestra nº 5 - Imperador.


 Uma outra grande influência, principalmente no início da sua carreira foi Mozart, outro dos chamados compositores do classicismo vienense.


 Sete anos depois do nascimento de Beethoven, nascia outro génio, com uma vida recheadíssima de sucessos em áreas muito diferentes, o químico Humphry Davy



16/12/2015

LIZZIE E MR DARCY

Jennifer Ehle e Colin Firth numa cena do filme Orgulho e preconceito
   Em 1813 surgia este par romântico com a publicação de Orgulho e preconceito. Elizabeth, Lizzie, uma das cinco filhas do casal Bennet, inteligente, alegre, bonita, cuja mãe tinha como única preocupação casar bem as filhas, o que não era, de forma nenhuma, partilhado pelo pai, e Mr Darcy, rico, bonito, inteligente, mas bastante orgulhoso da sua gentry. O orgulho de Darcy e o preconceito de Lizzie vão afastá-los durante muito tempo, mas, como se lia na medalha que a Abadessa usava nos Contos da Cantuária, (1387 - Chaucer), Amor vincit omnia, pelo que casam no fim e talvez tenham vivido felizes para sempre...

  Há 240 anos, no dia 16 de dezembro, nascia a escritora romântica, Jane Austen, criadora destas personagens. Jane Austen escreveu, também, Sensibilidade e bom senso, Emma, Persuasão, Mansfield Park, A Abadia de Northanger.



  A sua popularidade pode ser evidenciada, por exemplo, no filme O clube de leitura de Jane Austen.
 

15/12/2015

OUTRO CLÁSSICO



 Depois do centenário de Frank Sinatra, hoje comemoramos a estreia do filme que recebeu 10 Óscares, que mais rendeu nas bilheteiras, que está na lista dos filmes preservados na Biblioteca do Congresso - E tudo o vento levou.



  Estreado em 1939, adaptado de um romance vencedor do Prémio Pulitzer, de Margaret Mitchell, foi produzido por David Selznick e dirigido por Victor Fleming. No enredo surge um dos famosíssimos pares da ficcção cinematográfica - Scarlett O'Hara e Rhett Butler - magistralmente interpretados por Vivien Leigh (Óscar para melhor atriz) e Clark Gable.




 O enredo conta-nos o romance atribulado entre estas duas personagens, durante o período sangrento da Guerra Civil Americana (1861-65). Scarlett levava uma vida idílica, cheia de caprichos, numa plantação do Sul, perseguindo e rejeitando pretendentes, até ao encontro  com Rhett. A Guerra vem por fim a toda esta vida, trazendo morte, sofrimento, adaptação a uma nova realidade e uma nova maneira de enfrentar o mundo.
  A música do filme, composta por Max Steiner, tornou-se também um grande sucesso.


 Depois de todas as adversidades, ainda hoje é referida, Scarlett profere a célebre frase com que pretende readaptar-se à realidade - Amanhã é um novo dia.

14/12/2015

PARABÉNS

  
    De novo, no ranking das escolas agora apresentado, temos motivos para estarmos muito orgulhosos.
Entrevista ao Jornal de Notícias, de 12 de dezembro


  De novo, na disciplina de Português, os alunos do 12º e o Professor Cepa foram os melhores, em escolas públicas, na região norte, e os terceiros a nível nacional, com média de 13,56.

  Pedro Santos Guerreiro escreve o artigo A vida da escola, no Expresso do dia 12, onde refere o problema das desigualdades entre escolas públicas e privadas, do interior e do litoral:

  Está provado que determinante para a escolaridade dos filhos são as habilitações dos pais (sobretudo, em Portugal, das mães). Além disso, este ranking é relativo, não é absoluto: não mede se uma escola é boa ou má, mas se os alunos têm melhores ou piores resultados do que os de outras escolas. Uma escola pode estar relativamente mal classificada e ter um trabalho excelente, se estiver numa zona pobre e tiver alunos desinseridos.
 
 

13/12/2015

AFINAL!...





Mark Zuckerberg já entrou para o grupo dos papás babados, e partilha mais uma foto da filha através do Facebook. A bebé surge ao colo da mãe, Priscilla Chan, enquanto o pai segura o livro 'Física Quântica para Bebés'. "Estou a adorar ler para a Max. Parece que o próximo ano vai ser Um Ano de Livros Infantis!", escreveu.
                                       Correio da Manhã, 11 de dezembro

12/12/2015

MR BLUE EYES

 Há 100 anos nascia THE VOICE - Francis Albert Sinatra.


  Levou-nos a New York, New York,



fez-nos Fly to the moon e



sentirmo-nos Strangers in the night.



 Ajudou-nos  com Send in the clowns,




alegrou-nos o Natal.



  Bem ou mal, como diz numa das melhores/famosas canções, viveu My way.



  A RTP2 está a exibir um Ciclo de Cinema em sua homenagem. Podem consultar aqui a programação.

11/12/2015

FEIRA DO LIVRO


 Uma companhia, neste Inverno.
 
 
 


FEIRA DO LIVRO

14, 15, 16 e 17
de
Dezembro
na
BIBLIOTECA
 

10/12/2015

SELMA

  Antes mesmo de as mulheres suecas terem direito ao voto, o que só aconteceu em 1919, o Prémio Nobel da Literatura é entregue a Selma Lagerlöf, no dia 10 de dezembro de 1909.

   Nascida a 20 de novembro de 1858, Selma Ottilia Lovisa Lagerlöf foi, também, a primeira mulher a pertencer à Academia Sueca. Estudou em Estocolmo e ensinou numa escola feminina durante dez anos, ao mesmo tempo que escrevia sobre as lendas e histórias que tinha ouvido em criança.
   Em 1897 conhece Valbora Olander que a leva a conhecer e a colaborar com o movimento sufragista.
   A saga de Gösta Berlings, em 1891, foi o primeiro livro publicado, seguindo-se, entre outros, As aventuras maravilhosas de Nils Holgersson, de 1907. A Associação Nacional de Professores encomendou a Selma um livro de textos para Geografia, o que a levou a percorrer o país, a estudar a natureza e a recolher lendas e histórias populares. Foram  estas pesquisas que deram origem às aventuras de Nils, um dos primeiros livros a adotar o novo acordo ortográfico sueco de que Selma era uma grande defensora.
  Nils, um rapaz preguiçoso, só preocupado em comer e dormir, cruel para com os animais, captura um duende quando fica sozinho em casa a estudar a Bíblia, enquanto os pais vão à igreja. Depois de várias peripécias, o duende transforma Nils num duende, o que lhe permite falar com os animais, que ficam encantados quando descobrem que Nils está do seu tamanho e que se podem vingar. Entretanto, ...


   A BE empresta a quem quer conhecer o resto da história.

09/12/2015

PILHÃO




7º Peditório Pilhas e Baterias a favor do IPO


 


  Todas as pilhas e baterias usadas, recolhidas até dia 31 de dezembro, permitirão à Ecopilhas doar ao IPO um aparelho para doentes oncológicos - um Laser CO2 para Dermatologia.


Participe, ajude o IPO e proteja o ambiente!